Apresentação do Projeto


"Interessa cada vez mais que os cidadãos em geral e os jovens em particular desenvolvam um processo de interrogação sobre a sociedade em que vivem, refletindo sobre ela e atuando positivamente sobre as comunidades em que se inserem. A atividade artística é um instrumento essencial para estimular esta reflexão crítica, desenvolvendo ao mesmo tempo a criatividade e estabelecendo pontes com outras províncias de sentido. O BANDO À PARTE pretende ter impacto na criação de cidadãos esclarecidos e com capacidade crítica, autónomos, com capacidade de ação individual e com uma ligação profunda com o espaço urbano e social que os rodeia, assim como com as suas diferenciadas pertenças culturais."

 

Este excerto foi construído pel’O Teatrão e faz parte da apresentação do Projeto Bando à Parte. O nome sempre suscitou equívocos algo divertidos, ou seja, sempre associaram o nome a excluídos pobrezinhos e marginais e não excluídos que pensam e com construção de pensamento sobre o mundo. E que por isso são excluídos, são marginais, são tolos, têm a mania, são chatos porque falam muito e porque gostam de outras coisas. Viva Godard, a quem roubámos este nome e que gravou na nossa cabeça a imagem da liberdade e resistência cultural de uma juventude dos anos 60. Inspirou-nos a construir um projeto cujo objetivo é aprender a traçar o risco da nossa existência. Foi muito isso que temos vindo a fazer ao longo do projeto com estes jovens: arriscar um caminho possível de crescimento do indivíduo num coletivo. Projeto quase impossível, cada vez mais impossível e, por isso, de uma urgência tremenda.

©Cindy Manta
©Cindy Manta

Bando à Parte: Culturas Juvenis, Arte e Inserção Social (Bando à Parte I)


O Projeto Bando à Parte: Culturas Juvenis, Arte e Inserção Social 2010-2011, que chegou em outubro de 2011 ao final do seu primeiro ciclo, é um projeto de formação artística específica em teatro, música e dança, que contemplou um trabalho continuado, desde janeiro de 2010, nestas três áreas, com um grupo de jovens adolescentes de bairros sociais e municipais de Coimbra. O objetivo principal do projeto é o desenvolvimento do raciocínio crítico e da capacidade de reflexão sobre o mundo, promovendo assim a iniciativa individual e coletiva para construção de Projetos Artísticos de Sociedade. A juntar à formação artística nas áreas específicas de teatro, música e dança, a formação destes alunos passou também por uma componente de interligação com as atividades d'O Teatrão, sendo parte igualmente da formação assistir a espetáculos da Programação da OMT, assistir a ensaios e participar em espetáculos d'O Teatrão, como foi o caso de Bela Vista (2010), de Lisa Mcgee.

Ao longo destes 22 meses do projeto, são de destacar as atividades de intercâmbio nacional, com o Espaço T (Associação para a Integração Social e Comunitária), o Projeto e Orquestra Geração e a Associação Moinho da Juventude; e internacional, com o Projeto Núcleo Vocacional de São Paulo, com O MUZtheater (Zandaam, Holanda), com a Associazione Marchigiana Attività Teatrali – AMAT (Ancona, Itália) e com a Associazione Amicci Del Villagio (Rosa, Iália). Estes parceiros trabalharam com O Teatrão em vários programas como a Residência Artística Internacional (Interchanging Art World; IAW, 26 de Março-2 de abril 2010, Coimbra), o Seminário Culturas Juvenis – Repensar a Cidadania a partir da Experiência Artística (14-16 maio 2011) e o Laboratório Artístico Internacional (International Arts Laboratory, LAI, 5-11 setembro 2011). Estas iniciativas internacionais permitiram a partilha de experiências, metodologias e processos de trabalho, oferecendo um contexto de criação que ajudou na consolidação dos Projetos Artísticos de Sociedade e do próprio Projeto Bando à Parte.

Entrevista com Cláudia Pato de Carvalho, Coordenadora do BANDO À PARTE, à Antena 1:

Vozes da Vida Real (Bando à Parte II)

©Cindy Manta
©Cindy Manta

Este projeto terminou o seu primeiro ciclo - Bando à Parte I - em outubro de 2011 e lançou-se num segundo ciclo – Bando à Parte II (2012-2013). Dada a filosofia de atuação do projeto onde se definem, com base na criação e formação artística, ciclos de atuação que desenvolvam capacidades de liderança e de envolvimento cívico dos participantes, tornou-se importante assegurar que este segundo ciclo do projeto fosse conceptualizado e implementado em dois anos (2012-2013). 

O segundo ciclo do Bando à Parte, com uma turma nova, iniciou-se em Janeiro de 2012. Até outubro de 2013, os alunos receberam formação nas áreas da música, dança e teatro, acompanharam as produções próprias d’O Teatrão e assistiram aos vários espetáculos apresentados na OMT. No final da formação (outubro de 2013), apresentaram o seu exercício final: HOME SWEET HOME.

 

Os formandos do primeiro ciclo, que apresentaram em outubro de 2011 o seu exercício de fim de curso, continuam n’ O Teatrão, e quem nos vier visitar vai encontrá-los nas várias atividades da OMT. O projeto Bando à Parte dá formação artística a um grupo de adolescentes que normalmente não vai ver espetáculos nem tem aulas de música, dança ou teatro; mas também dá a oportunidade à equipa d’ O Teatrão de conhecer o olhar (e o escutar, e as vozes, e os gestos) desses jovens sobre o real e a arte.

Instituições Financiadoras e Parceiros

OFICINA MUNICIPAL DO TEATRO

Rua Pedro Nunes

3030-199 Coimbra - Portugal

40º 11' N / 8º 24' W

 

Telef: +(351) 239 714 013

info@oteatrao.com

 

Bilheteira

Telef: +(351) 239 714 013

Telm: +(351) 912 511 302

reservas@oteatrao.com

 

 

Levantamento de bilhetes:

Dias úteis: 10h-13h e 14h30-19h e uma hora antes do espetáculo.

Não se efetuam reservas no próprio dia do espetáculo;

As reservas têm que ser levantadas até ao dia útil anterior ao espetáculo;

 

 

A Oficina Municipal do Teatro, propriedade da Câmara Municipal de Coimbra, é gerida e programada pel’O Teatrão desde 2008.

 

Subscreve à nossa newsletter!

 

Instagram

Pesquisar neste site: